Ir para conteúdo principal Ir para o bloco de navegação

Cooperação Judiciária foi tema de apresentação do CNJ em visita ao TRT-2

Cooperação Judiciária foi tema de apresentação do CNJ em visita ao TRT-2

cooperacao-judiciaria-foi-tema-de-apresentacao-do-cnj-em-visita-ao-trt-2-foto01 1305901505

 

Uma proposta de integração de todo o Judiciário brasileiro. Essa é a ideia central da Rede Nacional de Cooperação Judiciária, apresentada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) na manhã dessa quarta-feira (18), no auditório do 24ª andar do Ed. Sede do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região. O projeto, de autoria do próprio CNJ, visa à uniformização de procedimentos e aprimoramento da comunicação entre os diversos órgãos do Judiciário do país, além de fomentar a participação dos magistrados de todas as instâncias na gestão judiciária.

 

A abertura da apresentação coube ao presidente do TRT-2, desembargador Nelson Nazar. Ele destacou a honra em receber os membros do CNJ e passou a palavra para o conselheiro do CNJ Nelson Tomaz Braga. Em suas palavras de apresentação, o conselheiro falou sobre a importância da presença do CNJ junto aos órgãos do Judiciário. “É um momento de transformação porque o CNJ veio para planejar o Judiciário. O CNJ tem que ir aos estados e perguntar como é a Justiça que as pessoas esperam,” disse.

 

Em seguida, a palavra foi concedida ao juiz José Eduardo de Resende Chaves, também integrante do CNJ. A ele coube explicar um pouco sobre como funciona a Rede Nacional de Cooperação Judiciária. “O projeto está dividido em três dimensões: externa, interna e tecnológica,” iniciou, dando, assim, uma noção da abrangência do plano. Ele ressaltou a importância da manutenção de contato frequente entre os órgãos. “A ideia é fazer a integração dessas 90 'ilhas' (tribunais) da Justiça brasileira”, frisou.

 

Foram apresentados, ainda, dois projetos semelhantes que estão sendo executados em esfera regional: o juiz Antônio Gomes de Vasconcelos discursou sobre a experiência do Sistema Integrado de Gestão Judiciária e de Participação da 1ª Instância na Administração da Justiça do TRT-3 (MG) – o Singespa/TRT3, e o juiz Luciano Costa Bragatto exibiu um vídeo sobre o desenvolvimento da “Justiça Colaborativa” no TJ-ES.

 

Ao final das exposições, a coordenadora do comitê de planejamento e gestão do TRT-2, desembargadora Jucirema Gonçalves, expôs um pouco do projeto de Planejamento Estratégico da 2ª Região, denominado “Gestão Compartilhada”. A iniciativa, que prevê a participação de desembargadores, juízes e servidores na definição das ações estratégicas do tribunal, foi elogiada pelo conselheiro e pelos participantes.

 

cooperacao-judiciaria-foi-tema-de-apresentacao-do-cnj-em-visita-ao-trt-2-foto02 1305840288 cooperacao-judiciaria-foi-tema-de-apresentacao-do-cnj-em-visita-ao-trt-2-foto03 1305840296 cooperacao-judiciaria-foi-tema-de-apresentacao-do-cnj-em-visita-ao-trt-2-foto04 1305840303